Kodak GC UltraMax 400

26 de fev de 2016











No Natal de 2014, participei de um amigo oculto diferente. Em vez de comprarmos presentes, desapegaríamos de algo nosso que lembrasse a pessoa que tínhamos tirado. Eu, pela primeira vez, fui muito sortuda e meus presentes foram: um livro, uma aquarela linda, com uma receita de brownie no verso, e... um filme 35mm!!!
Como minha câmera já estava carregada e eu levo umas duas vidas pra terminar um filme, só mais ou menos em Maio/Junho que fui colocá-lo. Detalhe: nesse meio tempo, ele ficou em uma bandejinha perto da minha janela pegando sol, chuva, vento. Coitado!!! Tanto que eu estava com medo das fotos saírem verde, ou algo do tipo. Mas, graças a Deus, isso não aconteceu... Acho.
Pois bem, tirei as fotos, terminei o filme e quando fui revelá-lo, decidi fazer diferente. Todas as vezes eu peço pra imprimir as fotos, por causa daquelas histórias que "devemos revelar mais as fotos", "a magia da fotografia analógica está em abrir o pacotinho e poder pegar nas fotos"... e tudo mais, que vocês já conhecem tão bem quanto eu. Nessa brincadeira, gastava em média R$50 por rolo, para no final, muitas fotos que eu nem gostei ficarem aqui jogadas em uma gaveta. Dessa vez, resolvi digitalizá-las e, pra minha surpresa, gastei apenas R$28 e ainda ganhei um filme novo de brinde!!! Vitória!!! E, olha só, tive a mesma sensação quando vi as fotos no computador e relembrei cada momento, sem precisar das fotos em mãos.
Mas, vamos deixar de conversa e ir para o que realmente importa. Como esse Kodak se comportou nas diversas situações que tirei as minhas fotos? Gostei das cores fortes, mas acho que ficaram muito saturadas, principalmente nos tons de pele. Outro defeito, foi o granulado que ele deixou. Mas, mesmo assim, gostei que ele não mexeu nos brancos (não mexa com meus brancos/brancos, por favor) e fiquei mais satisfeita com as fotos internas do que as externas. Até mesmo as do casamento, com luz artificial, achei que ele conseguiu se sair bem.
Mas, mesmo com todas as qualidades, vou dar apenas três coraçõezinhos pra ele:
Então é isso!!! Espero que tenham gostado das fotos e até o próximo post ^_^.

6 on 6 February

6 de fev de 2016








01. Uma foto mais ~moody~ e diferente das que eu costumo postar aqui, mas eu até que gostei :D Minha roupa estava combinando com o papel de parede do quarto da minha mãe, hahaha.
02. Donut de coração. Deu até pena de comer... mentira.
03. Uma foto de céu e esses balõezinhos ^_^.
04. Melhor invenção da face da Terra, meus amigos!!!
05. Quero tirar mais fotos analógicas esse ano, mas pra isso tenho que ganhar ali na loteria pra poder pagar a revelação :/.
06. Podem fazer donuts de todos os sabores e formatos, mas o simples com cobertura de chocolate ainda vai ser meu favorito.

E é isso!! Até a próxima e não esqueçam de visitar as outras meninas do projeto ^_^.

Dois mil e dezesseis

3 de fev de 2016




Ainda está muito tarde para 2016 ser um ano novo? Independente da resposta, deu vontade de escrever esse post e aqui estou. Janeiro foi um mês estranho, daqueles que você planeja um milhão de coisas e nenhuma delas acontece, tive umas preocupações e no fim foi tudo à toa. Mas também teve seu lado bom: veio o aniversário da minha mãe, o que foi bem legal, eu comecei a ir pra academia e choveu praticamente todos os dias, me possibilitando vestir algumas roupinhas de frio que eu nem lembrava mais.
Agora em Fevereiro as férias acabaram e parece que, finalmente, estou colocando as coisas no lugar. Pra mim, 2015 teve 13 meses (olha só) e 2016 vai ter 11. Então vamos lá fazer com que eles valham a pena.
Quais são as minhas metas para esses 11 meses?

Procrastinar menos. Um dia desses, li uma frase em inglês que dizia "sometimes later becomes never" e sabe quando algo te descreve tanto, que você pede até direitos de autorais? Hahahah. Pois é. Eu sou a maior "fazedora" de listas e a rainha de não cumpri-las. Esse ano eu decidi que se estou lendo algo, se estou assistindo algo, se estou ~fazendo um post~ só vou levantar a bunda da cadeira quando terminar. Adeus fazer lista das listas que tenho que cumprir.

Comprar menos. Tá, eu estou longe de ser uma pessoa super consumista. Muitas vezes eu vou ao shopping com aquela vontade de comprar, mas saio de mãos vazias porque pra gastar meu suado (literalmente) dinheirinho, tem que ser com algo muito bom. Mas infelizmente, ou não, temos algo que não me ajuda muito: internet. Perdi as contas de quantas washi tapes comprei ano passado, carimbos e coisinhas que sim, são bonitinhas, mas não eu não preciso delas pra viver. Mas voltando para o plano real, ao vivo. Arrumando meu guarda-roupa, percebi que estou terminantemente proibida de comprar sapatos, suéteres ou qualquer outro coisa que não seja caso de urgência nível "vou morrer se não tiver isso".

A revolta dessa resolução número 2 tem a ver com essa agora. Viajar pra um lugar novo. Todo ano é a mesma coisa e dou a desculpa de não ter dinheiro, mas as gavetas estão lá, cheias de inutilidades. Então agora, com o real mais baixo que barriga de cobra (li isso hoje e não pude deixar de compartilhar aqui, hahahaha), pode ser qualquer lugar aqui no Brasil ou na América Latina, quem sabe.

Fotografar mais. Parece que 2015 foi o ano que eu menos tirei foto desde que comprei minha câmera. E o pior: as que eu tirei ainda não gostei de nem 30% delas. Investir mais na fotografia, não ficar esperando a inspiração bater na minha porta. Também não quero fazer disso uma obrigação, mas se for esperar a minha boa vontade (vide item 1), não vai sair nunca.

Fazer esse projeto de leitura. Porque, sinceramente, foi um dos que eu mais me identifiquei. E ainda vou ter que conciliar com os livros de Game of Thrones que quero terminar antes de abril. Os cinco o_O.

Falando em projeto, em 2016 faz 10 anos que estou morando aqui em Brasília!!! Por isso, quero fazer algo relacionado com a cidade, principalmente depois desse post que eu fiz ano passado para comemorar o aniversário da cidade. Já tenho algumas coisinhas planejadas e vamos ver no que vai dar ;).

Não deixar o blog apenas com posts do 6 on 6. Se vocês tiverem noção do tanto de post que tenho nos rascunhos e da lista que eu tenho de posts pra fazer no meu caderninho, dava um novo blog. Além disso, acho que têm uns meses que eu não respondo comentários e nem visito blogs amigos. Que feio, Andrea, que feio.

Assistir a pelo menos um filme por mês no cinema. Não tem nada melhor, mas é algo que me dá uma preguiça, tanto financeiramente como fisicamente. Vou tentar ir nos horários mais em conta ($$$), pra conciliar com o item de economia ;).

Agora, o maior desafio de 2016: voltar a dirigir. Pois é, tenho carteira de motorista desde 2010, mas odeio, odeio, do fundo do meu coração, dirigir. Acho um saco ter que ficar prestando atenção pra todos os lados, usar os dois pés, as duas mãos ao mesmo tempo. É demais para mim, hahaha. Muito melhor ficar no metrô, escutando música, dormindo, etc. Mas, infelizmente, como não vivo em uma cidade com um transporte público eficiente, várias vezes dirigir faz falta não só pra mim, mas aqui em casa mesmo. Pois em 2016 teremos Andréa motorista nas ruas de Brasília... Detran, fica de olho O_o.

Pra organizar todas as minhas ideias, estou usando esse caderninho lindo que ganhei da Alline em um encontrinho no ano passado. Tem algo mais fofo?? Ela tem uma loja online linda onde vende cada coisa maravilhosa, daquelas que fazem a nossa carteira chorar, hahahaha ^_^.
E então, será que vou ter tempo de fazer tudo isso em apenas 11 meses?

P.s.: fazendo esse post, me deparei com esse post meu de 3 anos atrás.
Muito bom, Andrea do passado, muito bom...